Geral

Vacina da gripe: mais de 80% do estoque foram distribuídos

(Foto: Ilustração/(Antonio Cruz/ Agência Brasil))

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse neste sábado (12) que a pasta já entregou mais de 80% do estoque de 60 milhões vacinas contra a gripe em todo país. No dia de mobilização nacional contra a gripe, o chamado Dia D, mais de 65 mil pontos de vacinação atuaram em todo território nacional para imunizar o público-alvo da campanha.



“A vacina da gripe é o que vai combater, evitar, que tenhamos internações, complicações e às vezes alguns óbitos, como já ocorreram em função da gripe e do vírus H1N1”, disse o ministro da Saúde. “A vacina é segura, pois é feita com o vírus inativado, tendo poucos efeitos adversos”.

De acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 5 de maio foram registrados 1.005 casos de influenza em todo o país, com 158 mortes. Do total, 597 casos e 99 mortes foram por H1N1. Em relação ao vírus H3N2, foram registrados 208 casos e 30 mortes. Ainda foram registrados 112 casos e 13 mortes por influenza B e os outros 88 casos e 15 mortes por influenza A não subtipado.

Segundo o Ministério da Saúde, a meta é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o dia 1º de junho. A dose da vacina deste ano atua contra três vírus do tipo influenza, incluindo o H1N1 e o H3N2. Até o dia 9 de maio, 13,6 milhões de pessoas foram vacinadas no Brasil.

Mobilização

A campanha de vacinação contra gripe tem como público-alvo idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais também devem ser imunizadas. Neste caso, é preciso apresentar uma prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão registrados para receber a dose, sem necessidade de prescrição médica.

Da Agência Brasil

 

Compartilhe: