Cotidiano

Tenente Ivna Caroline Dias assume Corpo de Bombeiros de Jacarezinho

Passagem de comando aconteceu na tarde desta sexta-feira (8). Oficial assume posto deixado pelo capitão Angelino José de Siqueira

Tenente Ivna Dias assumiu o comando do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho nesta sexta-feira (Jivago França / Portal JNN)

A tenente Ivna Caroline Dias, 29, assumiu na tarde desta sexta-feira (8) o comando do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho no lugar do capitão Angelino José de Siqueira, que passa a responder pelo comando do SubGrupamento de Cornélio Procópio.



A solenidade aconteceu no quartel da corporação com a presença da comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, o subcomandante da PM-PR, coronel Arildo Luiz Dias, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Fábio Mariano de Oliveira, o comandante do 3º Grupamento de Bombeiros, major Ezequias de Paula Natal, o líder do governo estadual na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Pedro Lupion (DEM), entre outras autoridades.

A tenente Ivna Dias ingressou na corporação em 2008 através da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Curitiba, cidade onde nasceu e foi criada. Em 2010, após se formar no Curso de Oficias Bombeiros Militares pela Academia Policial Militar do Guatupê ela foi transferida para o 9º Grupamento de Bombeiros de Foz do Iguaçu, onde permaneceu por quase oito anos e, durante dois anos comandou um SBG (uma subunidade dentro dos grupamentos) na região com mais de 120 bombeiros.

Pós-graduada em Direito Militar Contemporâneo e especialista em Emergência com Produtos Perigosos, a tenente Ivna Caroline Dias irá comandar 18 bombeiros nos trabalhos voltados a Jacarezinho, Cambará e Ribeirão Claro.

MULHERES NO COMANDO

Pela primeira vez uma mulher irá comandar o Corpo de Bombeiros no Norte Pioneiro, assim como ocorreu recentemente no comando-geral da Polícia Militar do Paraná (PM-PR) com a nomeação da coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, fato que a tenente Ivna Caroline Dias avalia como um marco histórico. “Vejo esta conquista profissional como uma quebra de tabus. Se avaliarmos o currículo da nossa comandante veremos o quanto ela estudou, se capacitou e se dedicou à segurança pública, o que justifica o seu posto. Os desafios são imensos, e tanto para homens e mulheres exige muito trabalho e dedicação”, pondera a oficial.

Compartilhe: