Acidente

Sogra e nora estão entre as vítimas do acidente com 4 mortes em Curitiba

Local do acidente na Linha Verde – Foto: Franklin De Freitas/Estadão Conteúdo

Entre as vítimas fatais do acidente gravíssimo na Linha Verde, na tarde desta terça-feira (31), estavam sogra e nora. Verginia Gouveia Enes, 67 anos tinha ido ao Hospital Erasto Gaertner fazer exame acompanhada da nora Elizandra Maltezo Lustosa, de 32 anos. As duas morreram no local do acidente, após serem atropeladas junto com outras três pessoas no ponto de ônibus por uma viatura da Polícia Militar. No hospital, morreram as operadoras de telemarketing Franciele Aparecida Pereira dos Santos, de 33 anos, e Fabiana Maria da Silva, 30 anos.



No velório de sogra e nora na manhã desta quarta-feira, no bairro Tatuquara, onde moravam, parentes de Vergínia e Elizandra lamentavam a tragédia. O marido de Verginia, Agnaldo Enes, disse que a família não se conforma. “Minha nora tinha ido acompanhar minha mulher no hospital. Ela era um anjo pra gente, sempre cuidando de mim e da sogra. Devo muita gratidão a essa menina. Agora a gente quer justiça. Como essa viatura se descontrolou a ponto de atropelar tanta gente? Não quero acusar ninguém, mas esse carro estava em alta velocidade sim”, afirmou o marido de Vergínia.

O corpo de Franciele está sendo velado no Cemitério do Orleans, em Curitiba. Já o corpo de Fabiana foi levado para Diadema, em São Paulo, onde será sepultado.

Acidente

O acidente ocorreu às 14h40, na Linha Verde, embaixo do viaduto da Av. das Torres, no bairro Guabirotuba, em Curitiba. Quatro mulheres morreram. Os policiais que estavam na viatura chegaram a ser internados, mas receberam alta na mesma noite. Um outro homem foi atingido, mas sofreu ferimentos leves.

Uma viatura do 20° Batalhão da Polícia Militar (PM) foi desviar de um pedestre que atravessava a canaleta e atingiu um ponto de ônibus, atropelando pelo menos cinco pessoas. 

O policial rodoviário federal Maximiliano de Silva afirmou à Banda B que a viatura estava em atendimento de emergência pela canaleta. “Os policiais iam para uma ocorrência o e um pedestre foi atravessar fora da faixa, quando o motorista desviou e foi ao ponto de ônibus, onde estavam quatro mulheres. Duas morreram no local e duas estão em estado grave”, disse.

Segundo o policial, a viatura da PM estava com ‘giroflex’ e sirene ligados. “Estavam ligados e a viatura no sentido correto do fluxo de veículos. Nós patrulhávamos aqui na região e percebemos isso. Calculamos que eles estavam a 60 km/h. Já sobre a ocorrência que eles foram atender, não sabemos qual era a origem dela”, explicou.

Testemunhas

O motorista de um caminhão viu todo o acidente e falou à Banda B. “A viatura estava pela canaleta e se perdeu. Ao fazer o desvio de um pedestre, o motorista acabou atingindo o ponto de ônibus, infelizmente. Há pessoas que não resistiram, porque foi uma colisão muito forte”, descreveu.

Já o condutor de um Toyota Etios, que também se envolveu na colisão, disse que ia do Cajuru sentido a Cidade Industrial de Curitiba (CIC). “Eu vinha tranquilo e quando vi a viatura bateu no meu carro e eu fiquei em estado de choque. Quando abri a porta, já vi a senhora morta e pessoas com a perna estraçalhadas”, disse.

Segundo o motorista, o policial que conduzia a viatura disse que tentou desviar de um mendigo e atingiu os pedestres. “Não sei se o ‘giroflex’ estava ligado e nem a velocidade da viatura. O policial estava chocado com o que aconteceu”, afirmou.

Denise Mello e Djalma Malaquias / Banda B

Facebook Comments
Compartilhe: