Política

Senado desiste da urgência para projeto sobre fretes porque MP do governo incorporou medida, diz Eunício

Governo publicou três medidas provisórias para atender reivindicações de caminhoneiros grevistas. Uma das medidas equivale ao projeto sobre fretes.

O presidente do Senado, Eunicio Oliveira (MDB-CE), deu entrevista no Congresso (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), disse nesta segunda-feira (28) que o projeto sobre preços mínimos de fretes, cuja a urgência seria votada pela Casa nesta segunda, foi “incorporado” por uma das três medidas provisórias (MPs) editadas pelo governo no domingo (27) para atender pedidos de caminhoneiros grevistas. Com isso, o Senado não vai mais analisar a urgência do projeto.

A declaração foi dada antes de uma reunião de líderes partidários convocada para debater a pauta de votações nesta semana. Antes da edição da MP, Eunício convocou uma sessão extraordinária de votações para esta segunda a fim de votar um pedido de urgência para a proposta reivindicada por caminhoneiros.



“O projeto, que nós iríamos fazer hoje a [votação da] urgência, está incorporado na medida provisória que foi uma negociação, repito, minha, do ministro da Fazenda [Eduardo] Guardia, do ministro Esteves Colnago [Planejamento], falando com o presidente da República”, declarou.

Segundo Eunício, a MP sobre fretes contempla o projeto quase na “plenitude”. “À exceção de uma cláusula em que foi feito um entendimento entre a confederação dos trabalhadores e uma reivindicação que tinha por parte da classe patronal […]. Era uma questão de punição exagerada que tinha dentro do projeto em relação às empresas”, disse.

Com isso, a sessão desta segunda deverá se restringir à análise de outras seis MPs que estão “trancando a pauta” do Senado. Ou seja, têm prioridade de análise em relação a outros projetos.

*Gustavo Garcia, G1, Brasília

Facebook Comments
Compartilhe: