Agronegócio

Segundo maior produtor de grãos do país, Paraná estima colher 23,3 milhões de toneladas no próximo ciclo

Diferente do cenário de estiagem encontrado pelos produtores paranaenses em 2017, o mês de setembro foi positivo para o plantio de grãos no estado nesta temporada. Em ritmo acelerado, o Paraná conseguiu se antecipar e manter previsão de crescimento, ajudado pelo tempo chuvoso deste mês de outubro. Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná (Seab), 47% das lavouras de soja e 60% de milho já foram semeadas, com uma estimativa de colheita de 23,3 milhões de toneladas de grãos nesse ciclo. A expectativa é que o Paraná tenha um crescimento de pelo menos 4% em comparação com o ciclo anterior.



“Iniciamos bem o ciclo, porém, agora há preocupação com a chuva, que traz uma safra positiva em termos de produtividade, porém, exige mais cuidado dos produtores em relação aos fungos e também desacelera o plantio”, explica o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira.

A cadeia produtiva do segundo maior produtor de grãos do país abre o roteiro da 13ª edição da Expedição Safra do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo. A equipe de técnicos e jornalistas visitará, a partir de 22 de outubro, as cidades de Londrina, Campo Mourão, Umuarama, Toledo, Cascavel, Francisco Beltrão, Guarapuava, Pato Branco e Ponta Grossa.

Os próximos estados a serem visitados serão Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

PARTICIPAÇÃO ECONÔMICA

Assim como no País, a economia paranaense também tem sido puxada pelo campo. Segundo números do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES), se o crescimento do Produtor Interno Bruto (PIB) do estado em 2017 foi de 2,5% (totalizando R$ 415,7 bilhões), o do agronegócio chegou a 11,5%, atingindo a marca de R$ 35,9 bilhões.

“O agronegócio tem uma importância fundamental na economia do Paraná, pois é responsável pelo grande desenvolvimento que o estado vem tendo nas últimas décadas. Além disso a grande força das Cooperativas do Paraná, vem impulsionado os investimentos no setor e cada vez mais gerando renda e transformando a cadeia produtiva em um negócio altamente diferenciado no mercado”, avalia o coordenador comercial da Castrolanda, Edson Martins Oliveira.

Paraná Portal

Facebook Comments
Compartilhe: