Geral

“Se isso não é roubo, não sei o que é”, afirma Osmar Dias sobre pedágios do Paraná

Brasília – O vice-presidente de Agronegócios do banco, Osmar Fernandes Dias, durante o lançamento do plano safra 2016/2017 (José Cruz/Agência Brasil)

O ex-senador Osmar Dias (PDT) abriu a sabatina aos pré-candidatos ao governo do estado, realizada na manhã desta terça-feira (15), no centro universitário UniCuritiba, em Curitiba.



Ao ser questionado sobre a concessão dos pedágios no Paraná, o pré-candidato afirmou que caso seja eleito, todos os contratos serão revisados de forma rigorosa. “Se isso não é um roubo eu não sei o que é. Terá uma revisão de todos os contratos e isso não é uma promessa, é um compromisso”, afirmou.

Seis empresas atuam no estado, por meio do Anel da Integração, desde 1997 e devem devolver as estradas em 2021, quando vencem os contratos firmados no governo Jaime Lerner. Atualmente o Paraná tem as tarifas de pedágios mais altas do país.

O pré-candidato disputou as eleições ao governo em 2010, quando foi derrotado por Beto Richa (PSDB).

Osmar é irmão do senador e pré-candidato à presidência da República Alvaro Dias (Podemos) e afirmou que vai apoiar a candidatura. “Eu tenho um irmão candidato e tenho que apoiá-lo”, disse. Alvaro Dias é líder nas intenções de votos dos eleitores do Paraná e de Santa Catarina, segundo pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas.

Investimentos 

Dias afirmou que a educação é uma prioridade do seu governo e que pretende fazer um plano para a contratação de professores. “Vamos ter que buscar recursos”, disse.  “Nós precisamos fazer com que as autoridades públicas, o governo, seja respeitado. Brigar com os educadores é o pior caminho que podemos adotar. A briga do 29 de abril ocorreu devido à falta de respeito do público com o governo e do governo com o público”, afirmou.

Ao tratar do tema segurança pública, o pré-candidato lembrou do homem que foi velado em uma rua de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, durante 13 horas, a espera do Instituto Médico Legal (IML).  “Os policiais civis estão ocupados nas delegacias cuidando de presos e o restante da demanda fica abandonada. Não há como a polícia civil e a militar darem conta da segurança recado sem reuniões com a comunidade”, disse.

Transporte coletivo

Osmar Dias afirmou que a desintegração do transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana foi uma irresponsabilidade do governo Beto Richa (PSDB). “Exemplo de negligência, o governo do estado não cumpriu o convênio e desintegrou o transporte coletivo, isso precisa ser retomado. É preciso lembrar que isso causa outros problemas, o caos no trânsito, por exemplo”.

Porto de Pontal do Paraná 

O pré candidato afirmou que pretende proteger a Mata Atlântica no litoral do Paraná, onde existe um projeto de construção de um porto de iniciativa provada. “Se um porto privado quiser se instalar no nosso litoral sem arrebentar 40 quilômetros de mata atlântica ok, caso contrário não será aceito”, disse.

A previsão é de que a construção comece ainda neste ano. O local das obras é uma das áreas Mata Atlântica mais bem preservadas.

Abertura 

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) Luiz Oyama, fez a abertura da Sabatina e pediu uma eleição limpa. “Os candidatos brigam e discutem aqui, mas depois vão tomar uma cerveja juntos no bar”, afirmou.

Oyama também citou o efeito das fake news no cenário eleitoral e pediu ao público “verifiquem a autenticidade da mensagem que recebeu em seus grupos de WhatsApp antes de repassar”.

Paraná Portal

 

Compartilhe: