Cidades

Santo Antônio da Platina registra segunda morte este ano por H1N1

Uma mulher de 47 anos morreu no domingo, 29, em Santo Antônio da Platina, vítima do vírus H1N1. Com ela, a cidade já contabiliza duas mortes causadas pela doença este ano. A primeira ocorreu no dia 29 de junho e vitimou um homem de 59 anos. Nenhum dos pacientes fazia parte do grupo de prioridades com direito a vacinação, ou seja, eles não estavam imunizados.



Segundo o Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), divulgado nesta segunda-feira, 31, nos 23 municípios de abrangência da 19ª Regional de Saúde, Santo Antônio é a cidade com maior número de casos da doença: 11 confirmados por exames.  Jacarezinho tem dois, Joaquim Távora, dois, e Siqueira Campos, um caso. Óbitos só ocorreram em Santo Antônio.

Segundo o diretor da 19ª Regional de Saúde, com sede em Jacarezinho, os números de casos podem não refletir a realidade. “Nem todos os pacientes com gripe passam por exames, e o Boletim da Sesa só divulga os casos confirmados por meio de exames. Outra observação é que Santo Antônio da Platina tem o maior número de habitantes da região, portanto, a quantidade de casos é proporcional”, comentou .

A realização dos exames para confirmação é importante, mas para Trevisan, não é preciso coletar amostras para exames quando o caso tem características da gripe. “É preciso iniciar o tratamento com Tamiflu assim que médico perceber que a doença pode se agravar. Não podemos esperar que a saúde da pessoa piore para começar a tratar. Não importa se o paciente fazia parte ou não do grupo de prioridades da vacina. Para nós, todos os pacientes são prioritários. Temos Tamiflu em todas as farmácias das secretarias municipais. É preciso prescrevê-lo assim que o médico diagnosticar os sintomas. Eles têm experiência para isso”, afirmou.

Segundo a diretora municipal da Secretaria de Saúde, Gislaine Galvão, o momento é de tomar certos cuidados que podem evitar a gripe nesse período do ano, que é mais propício. “É preciso manter os ambientes abertos (com esse frio e vento a tendência das pessoas é fecharem os espaços); usar álcool gel, lavar as mãos sempre, ingerir bastante líquido, ao tossir ou espirrar, cobrir a boca com uma peça de roupa ou sobre o antebraço, nunca proteger a tosse ou espirro com as mãos”, orientou.

A diretora também avisa a população para procurar uma Unidade Básica de Saúde ao sentir os primeiros sintomas, como tosse, dor de cabeça, febre, falta de ar. “É preciso procurar ajuda médica imediatamente para que o paciente possa iniciar tratamento precoce. Também é indicado o uso do Tamiflu assim que o médico perceber os sintomas de gripe. O medicamento está disponível pela rede SUS”, disse salientando que se o medicamento for receitado após as 18 horas nos dias uteis, ou nos finais de semana, quando a farmácia municipal já estiver fechada, o interessado pode retirar o remédio na farmácia do Hospital Nossa Senhora da Saúde. “O importante é iniciar o tratamento imediatamente”, avisou.

Outra informação importante passada pela diretora, é que mesmo que o paciente procure atendimento particular, no caso de gripe, e ser for constatada síndrome respiratória, ele deve ir até o setor de epidemiologia para fazer a notificação.

Facebook Comments
Compartilhe: