Policial

Quase linchado, avô é preso acusado de abusar da neta

Um homem de 54 anos foi preso na manhã desta sexta-feira, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, acusado de abusar da própria neta, uma criança de 11 anos. A Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão contra ele, que estava em casa. O crime teria acontecido há duas semanas e ele foi quase linchado pela população, na ocasião.



De acordo com o delegado Tito Barrichello, da Delegacia de Polícia de Almirante Tamandaré, a prisão do acusado poderá revelar se há mais vítimas. “Iniciamos a investigação e identificamos que ele havia abusado sexualmente de sua neta. Com base nisso, foi pedida a prisão temporária dessa pessoa que cometeu esse crime hediondo. A prisão dele é importante para que agora possamos ver se há outras vítimas entre familiares, também para concluir o inquérito. Ele faz parte da família e existe o temor referencial normal, a pressão psicológica que ele como avô da vítima passa a exercer, atrapalhando a busca pela verdade material”, descreveu à Banda B.

Homem foi preso duas semanas após o crime. Foto: Reprodução/Polícia Civil

O homem foi preso em casa, no bairro Jardim São Carlos. O mandado de prisão temporária, de até trinta dias, pode ser prorrogável para mais trinta ou ainda substituída pela preventiva, durante os avanços do inquérito. A delegacia deve anexar os laudos de exames feitos pela criança ao processo, além de depoimentos da família.

Para a polícia, o acusado confessou ter ‘mexido’ na criança, apenas uma vez. “Ele confessa parcialmente o crime, diz que inseriu o dedo (…) na vítima uma vez. Queremos apurar isso, mas isso já se caracteriza estupro de vulnerável. É uma situação gravíssima. Pra ele é um ato simplesmente de manipular com a mão a parte íntima de uma criança, mas fora a parte física, existe todo um contexto psicológico que afeta a vítima, podendo lhe causar transtornos mentais para toda a vida. Aquele que deveria educar, cuidar, aquele que era o protetor lhe causou um dano. Por isso, que vamos proteger a vítima, não vamos mencionar o nome dele, também, para não identificar a garota”, completou o delegado.

Outras

As investigações também seguem com intuito de apurar a existência de outras vítimas ligadas ao convívio do homem. “A sociedade precisa saber, quem praticar um crime de cunho sexual aqui em Almirante Tamandaré vai ter uma consequência, o rigor é grande porque é um crime hediondo e vai para cadeia”, finalizou Tito Barichello.

Facebook Comments
Compartilhe: