Cidades

Prefeito promete ‘amenizar’ problemas de estradas rurais

Estradas rurais estão um caos, comprometendo o escoamento da produção e o livre trânsito das famílias

Comissão composta por 25 produtores rurais se reuniu com o prefeito Zezão (Antônio de Picolli)

O prefeito de Sato Antônio da Platina, José da Silva Coelho neto (PHS), o Professor Zezão, reuniu-se no início da tarde desta segunda-feira, em seu gabinete, com uma comissão composta por 25 produtores rurais, que foram à sede do Executivo cobrar imediata ação da Secretaria de Obras em razão do estado precário da maioria das estradas rurais, em péssimo estado de conservação.



O prefeito prometeu que vai “amenizar” o problema este ano, segundo um dos presentes, mas ressalvou que a solução definitiva para da situação das estradas rurais, só em 2019. O mesmo produtor assinalou que Zezão fez a mesma promessa no início deste ano, mas até agora nenhuma obra foi realizada, pelo menos, para amenizar o drama dos agricultores.

Estiveram no gabinete do prefeito, representantes dos bairros rurais Beira Rio, Araponguinha, Cem Alqueires e Santa Marina para tratar das condições precárias das estradas. Eles reclamaram que em muitos pontos as rodovias rurais estão intransitáveis, comprometendo o escoamento da produção e a passagem de veículos escolares e das famílias.

Um dos produtores assinalou que a última vez que a estrada do bairro onde a família reside recebeu cascalhamento foi há mais de 14 anos, na administração do ex-prefeito Flávio Maiorky (PSDB), a quem ele classificou como um gestor que respeitava a população da zona rural.

“Desde a saída do Flávio três gestões se passaram e os quase dois anos da atual administração. Estamos sendo tratados com desrespeito. Nós, agricultores, representamos boa parte da arrecadação de tributos do município, que levamos alimento à mesa de todos os platinenses, somos tratados como cidadão de quinta categoria”, desabafou.

Ministério Público

Em situação catastrófica vivem as cerca de 200 famílias que residem do Bairro dos Glória. A situação chegou a tal ponto que os moradores fizeram um abaixo assinado e protocolaram no Ministério Público Estadual (MPE) denúncia solicitando investigação do Gepatria – Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, assinalando que, além dos prejuízos econômicos, os moradores correm sérios riscos à segurança, principalmente de crianças que frequentam escolas da cidade, além de que a prefeitura vem realizando obras que só prejudicam ainda mais os moradores, pois retiraram o cascalho da estrada, deixando a via sem proteção.

O que mais revolta os moradores, segundo uma mãe que sofre em dias de chuva para levar os filhos à escola, é a indiferença dos responsáveis pelo departamento de Agricultura, como se os moradores da zona rural fossem cidadãos de segunda classe. “É revoltante a forma como somos tratados”, desabafou.

Facebook Comments
Compartilhe: