Brasil

Polícia encontra armas e muito dinheiro na casa de João de Deus durante buscas

Foram mais de quatro de horas de buscas em pelo menos três endereços ligados ao médium, acusado de abuso sexual

Buscas foram feitas em vários endereços de Abadiania-GO – reprodução

Armas e pistolas foram encontradas na casa do médium João de Deus em Abadiânia (GO), durante buscas realizadas na tarde desta terça-feira, 18, pela Polícia Civil de Goiás. Além do armamento, a fiscalização encontrou grande quantia em dinheiro. Todo o material foi levado para perícia.



Nesta quarta-feira, 19, a Polícia Civil deverá divulgar detalhes da operação. Além da casa do médium, buscas foram realizadas na Casa Dom Inácio de Loyola, onde o líder espiritual faz atendimentos para fiéis.

Foram mais de quatro de horas de buscas em pelo menos três endereços ligados ao médium, acusado de abuso sexual. Todos os locais vasculhados ficam em Abadiânia (GO), cidade onde ele ficou conhecido como líder religioso.

A Polícia usou mandados de busca em três endereços principais: a Casa Dom Inácio de Loyola, onde João de Deus fazia os atendimentos espirituais, a residência pessoal do médium e o endereço de uma entidade comunitária, conhecida como Casa da Sopa, que distribui alimentação para os moradores da comunidade.

Da casa onde mora João de Deus, a Polícia retirou um malote de documentos e mídias que serão averiguados para seu possível uso como prova documental na investigação de abuso sexual.

O primeiro local a ser alvo de buscas da polícia na cidade goiana foi a Casa Dom Inácio Loyola. No centro, os policiais passaram pelo escritório administrativo, pelos salões onde aconteciam os cultos e também pelas salas pessoais de João de Deus.

Um dos principais auxiliares do médium, conhecido como Chico Lobo, teve de apresentar à Polícia Civil como é a rotina de atendimento ao público. O auxiliar foi filmado demonstrando as etapas pelas quais os seguidores e fiéis têm de passar para realizar as sessões na casa.

Durante toda a busca, um advogado de João de Deus acompanhou os trabalhos e deu explicações aos policiais. Ele também teve de fornecer chaves de armários e gavetas que estavam trancadas.

O objetivo desses mandados de busca e apreensão é esclarecer divergências em relação aos depoimentos das vítimas e do líder espiritual em sua defesa. A Polícia Civil de Goiás deve encerrar seus primeiros inquéritos até sexta-feira, 21. Por enquanto, o médium é investigado por envolvimento em 15 casos de abuso sexual.

Justiça nega habeas corpus

A Justiça de Goiás negou nesta terça-feira o habeas corpus para o médium  João de Deus, preso desde o último domingo. O advogado do médium, Alberto Toron, disse que irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para conseguir a liberdade de seu cliente.

“Apenas a liminar foi apreciada e negada. O julgamento final do habeas deverá se dar após o recesso. Discordamos da decisão e vamos recorrer ao STJ”, afirmou Toron, em nota à imprensa.

A defesa de João de Deus pretende transformar a preventiva em prisão domiciliar com uso de tornozeleira. Segundo o advogado, é preciso levar em conta a idade avançada e o estado de saúde do médium. Ele está em uma cela de 16 metros quadrados com pia e vaso sanitário, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

A prisão preventiva foi decretada com base em 15 denúncias já formalizadas em Goiânia, todas por crimes sexuais. O médium se entregou à polícia de Goiás, na tarde de domingo (16), em uma estrada de chão, em Abadiânia, onde mantém suas obras sociais e o centro de atendimento. Desde a semana passada, a força-tarefa do Ministério Público de Goiás recebeu 506 relatos de crimes sexuais atribuídos ao médium.

Facebook Comments
Compartilhe: