Esporte

Paulinho atropela desconfiança (de novo) e celebra auge após jogo 50 pela Seleção

Convocado atuando por quatro clubes diferentes (só Danilo conseguiu o mesmo no atual elenco), volante do Barcelona chega em alta ao seu segundo Mundial. E no melhor momento da carreira

Andre Mourao / MoWA Press

Superar desconfianças parece ser um dos lemas da carreira de Paulinho. E na Seleção não é diferente. Em 2014, o volante chegou ao Mundial na reserva do Tottenham e perdeu a posição durante a competição. Quatro anos depois, vive o melhor momento de sua carreira e acaba de completar 50 jogos com a camisa do Brasil. O camisa 15 ainda é dono de uma marca que representa bem a sua rotina de dar a volta por cima: foi convocado atuando por quatro clubes diferentes.



Atualmente, Paulinho defende o Barcelona. Antes, já havia defendido a Seleção quando estava no Cotinthians, no Tottenham e no Guangzhou Evergrande. No elenco, só ele e Danilo (Santos, Real Madrid, Porto e Manchester City) atingiram tal feito.

– Minha carreira sempre foi dessa forma, superando adversidades. Em vários lugares houve desconfiança, crítica, mas nunca deixei de ser profissional e respeitar todos. É difícil chegar na Seleção, mas agora também é difícil sair. Em todas as convocações eu aprendo de alguma forma.

”Não me sinto pressionado, e sim privilegiado por disputar mais uma Copa no melhor momento da minha carreira de da minha vida”, resumiu.

Paulinho ficou fora da Seleção por cerca de dois anos, entre o final da Copa de 2014 e a chegada de Tite. Não foi convocado vez alguma por Dunga. Mas quando o atual treinador assumiu, ele sabia que voltaria a ser observado. Os dois trabalharam juntos no Corinthians e conquistaram títulos importantes.

PAULINHO NA SELEÇÃO

  • 53 convocações
  • 50 jogos
  • 36 vitórias
  • 8 empates
  • 6 derrotas
  • 12 gols marcados

O retorno à Seleção deu destaque ao volante, que trocou o futebol chinês pelo Barcelona em agosto do ano passado. A transferência, principalmente pelo valor envolvido (€ 40 milhões / R$ 150 milhões), gerou uma nova onda de crítica e desconfiança sobe o jogador – dessa vez pela imprensa espanhola. Mas Paulinho não precisou de muito tempo para provar seu valor em campo outra vez. Tanto que o volante garante: após a primeira temporada na Espanha, chega à segunda Copa no melhor momento de sua carreira.

– O momento atual da Seleção é muito melhor que o de 2014. Falo de confiança, de equilíbrio, de estar sempre concentrado. Alguns pontos fazem com que hoje o Brasil esteja mais preparao. E falando agora de mim, muito mais bem preparado. Isso faz parte do futebol, em quatro anos se aprende muita coisa. A Seleção passou por uma evolução muito grande e queremos aproveitar esse momento de vitórias para seguir ganhando confiança.

O Brasil volta a treinar nesta quinta-feira, em Sochi, base da equipe na Copa da Rússia. Na sexta, a delegação embarca para Rostov, palco da estreia de domingo contra a Suíça, às 15h (de Brasília), pelo Grupo E. Paulinho será titular mais uma vez.

*Globoesporte.com-Alexandre Lozetti, Edgard Maciel de Sá e Tossiro Neto, Sochi, Rússi
Facebook Comments
Compartilhe: