Cidades

Para Pedro Lupion, desunião dos prefeitos enfraquece Norte Pioneiro

Para o deputado, a ausência de um deputado da região na próxima legislatura estadual é uma prova deste quadro

Pedro Lupion reuniu-se com a imprensa regional na tarde desta quinta-feira (11) em Santo Antônio da Platina (Antônio de Picolli)

O deputado estadual Pedro Lupion (DEM), eleito para uma das 30 cadeiras do Paraná na Câmara federal, reuniu-se com a imprensa regional na tarde desta quinta-feira (11), em seu comitê político em Santo Antônio da Platina, quando fez uma análise das últimas eleições, manifestando preocupação com a desunião dos prefeitos do Norte Pioneiro em relação às demandas locais e na incapacidade da região em eleger um representante da terra na Assembleia Legislativa.



Ele elogiou o trabalho do deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli (PSB), com que fez dobrada em vários municípios, mas assinalou que há espaço para a eleição de mais dois representantes da região, fato que não ocorreu este ano.

Além da desagregação das lideranças da região no campo político, o que preocupa Pedro Lupion é o esvaziamento da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi) e o distanciamento desta instituição com sua coirmã de Cornélio Procópio, a Associação dos Municípios do Norte do Paraná (Amunop). “A mesorregião do Norte Pioneiro reúne as duas associações, que somam mais de 40 municípios. Se trabalhassem unidas, essas duas instituições, representando mais de 400 mil eleitores, teria um peso político muito maior a nível estadual e federal”, analisa.

O parlamentar pretende atuar firmemente neste sentido para uma atuação conjunta em favor das demandas dos municípios nas esferas estadual e federal. Uma dessas lutas refere-se à duplicação da BR-153, entre Santo Antônio da Platina e Tibagi. “Não dá para imaginar o desenvolvimento regional sem infraestrutura. Temos que lutar por esta conquista, da mesma forma que insistiremos na duplicação da PR-092, que já recebe investimentos de mais de R$ 50 milhões no trecho entre Jaguariaíva e Santo Antônio da Platina”, assinala.

Bolsonaro não terá problema de governabilidade, diz parlamentar

Uma das primeiras coisas que Pedro Lupion fez após eleger-se deputado federal foi viajar à Brasília, no início desta semana, para sentir na própria capital federal o clima após o ‘vendaval’ que varreu da vida pública as mais importantes lideranças do Congresso. Segundo ele, na maioria dos gabinetes das duas casas, havia um clima de velório.

De acordo com Lupion, a renovação na Câmara dos Deputados chega a quase 50%. No Senado é ainda maior: de cada quatro senadores que tentaram a reeleição, três foram derrotados nas urnas. O Centrão, como são denominados os partidos de centro, como o PSDB, PP, entre outros, foram os que sofreram as maiores baixas.

Para o jovem parlamentar, que estreia em Brasília a partir do começo do próximo ano, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que enfrenta o petista Fernando Haddad no segundo turno, não terá dificuldades de compor-se com o Congresso caso venha eleger-se. Ele credita isso ao papel do deputado federal Onix Lorenzoni, que vai assumir a Casa Civil da Presidência da República e será o articulador do governo do parlamento.

Segundo as contas de Lupion e de setores da mídia, Bolsonaro contaria hoje com cerca de 300 parlamentares em sua base, vislumbrando que não terá dificuldades de relacionamento. Mas o democrata alerta que o novo governo, seja quem for o eleito, não pode se distanciar do desejo da população brasileira, se quiser manter a governabilidade.              

Facebook Comments
Compartilhe: