Crônica

O Smartphone e o WhatsApp

Foto: gstv.amorim on VisualHunt / CC BY-NC-SA

Um amigo me contou…
Estava uma brisa gostosa, fim de tarde… Fora convidado por sua mulher para dar uma volta, tomar uns drinks, jantar fora, conversar sobre o relacionamento…
Sua mulher se produziu toda. Um perfume inebriante! Roupas íntimas provocantes, carinha de marota! Estava pintando um clima!
Seus neurônios de rabos e tridentes espetavam sua imaginação para uma noite apimentada. O bar à meia-luz, candelabros acesos e músicas românticas completavam o ambiente e os desejos.



Vinho maravilhoso com queijo Roquefort! As pernas se alisando debaixo da mesa alimentavam e impulsionavam os neurônios endiabrados. Estavam em festa!
Mais um vinho… Tudo no ponto. Pronto!
Chegaram em casa direto pro banho. Um licor “Lochan Ora” para adoçar a mente e atiçar ainda mais os impulsos…
Sua mulher deitou-se antes. Ato contínuo, pegou o celular e foi ver e enviar mensagens…
Ele deitou-se, com metade do corpo desnudo, encostou seus pés aos dela. Respiração ofegante, cheio de vontade… vontade de quebrar o celular!! E ela, grudada nas mensagens recebidas e enviadas…
Deu um tempo… Levantou-se sem ser notado e foi direto para o banheiro…

Crônicas recomendadas: Horóscopo… ; Conectividade
Curta, compartilhe e siga-me no Facebook
Curta a página da editora Mérula

Facebook Comments
Compartilhe: