Colunista

O peso dos idosos

Depressed elderly man lost in thought

Os velhos indígenas norte-americanos, embora respeitados nos conselhos grupais, tornavam-se um peso quando deixavam de ser autossuficientes. A maior parte abandonava discretamente o grupo, para morrer sozinho na vastidão da pradaria ou da floresta.Pois, passados 3 séculos, a história se repete.
Uma estatística envergonha os sul-coreanos: o índice de suicídios entre idosos. O mais alto entre os países da OCDE, mais que dobrou em dez anos. Subiu de 35 para 82 por cada 100 mil pessoas.
Desde o tradicional contrato social da época de Confúcio, os filhos e netos deviam respeito e cuidado aos idosos.
Porém, na industrialização recente da Coréia, os jovens migraram para as grandes cidades, e como um investimento para a velhice, os pais passaram a se dedicar obsessivamente à educação e ao sucesso profissional dos filhos, confiando que eles seriam a garantia do seu futuro.
Ocorre que aquele contrato de pai para filho rompeu-se, os filhos pensaram só neles mesmos, e como até 1.988 não havia previdência social na Coréia, os idosos de hoje não tem do que viver.
Resultado: sentem-se abandonados pelos filhos ou um peso, quando têm doenças crônicas, cujas contas médicas os filhos relutam pagar. Daí a opção pelo suicídio.
Olha, com a dinâmica e o ritmo de vida atuais não podemos depender de ninguém, nem contar com ou sobrecarregar filhos.
Por isso, quem puder ter duas previdências, melhor. Uma só para pagar um bom plano de saúde.



Renato Follador

Compartilhe: