Geral

IAP vai analisar amostras de água do Vale da Pirambeira

Local apresenta indícios de poluição, com cheiro fétido, espuma densa na superfície da água e coloração turva

Vale é alvo de nova investigação que apura suposta contaminação ambiental, cuja origem ainda é desconhecida Foto: Arquivo)

Técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), juntamente com representantes do Laboratório Central do Estado (Lacen), acompanhados por policiais do 4º Pelotão de Polícia Ambiental de Jacarezinho, coletaram amostras de água para análise de poluição no corpo hídrico do Vale da Pirambeira (localizada no perímetro urbano de Joaquim Távora). A visita aconteceu nesta semana, após várias denúncias de suposta emissão de poluentes no Rio Peroba, que corta o perímetro urbano e vários bairros rurais. O Vale é alvo de nova investigação que apura suposta contaminação ambiental, cuja origem ainda é desconhecida.



O Boletim de Ocorrência lavrado pela Polícia Ambiental aponta que foram coletadas amostras de efluentes nos pontos de lançamento nas Estações de Tratamento dos Frigoríficos Rajá e Pioneiro e também da Sanepar, bem como na junção dos pontos mencionados. A análise do material coletado pelo Lacen irá culminar na confecção de um laudo oficial, atestando se existe contaminação no corpo hídrico. O prazo máximo para emissão do resultado da análise é de 30 dias.

Desde 2014, ativistas ambientais lutam pela preservação do manancial e denunciam o lançamento de efluentes industriais e outros agentes poluentes sem tratamento adequado que estariam prejudicando a fauna e a flora não só do Vale, mas como do Norte Pioneiro.

No local é possível visualizar uma densa espuma branca sobre a superfície da água de coloração turva e cheiro fétido. Além disso, não há qualquer indício de vida aquática, caracterizando ainda mais sinais de contaminação. Todos estes cursos hídricos que passam pelo vale deságuam na bacia hidrográfica do Rio Cinza – que se trata de uma potente manancial de abastecimento de vários municípios da região.

Ativistas garantem que não vão parar de buscar soluções para a preservação do local, e da região, afinal, não é apenas o Vale que pode estar sendo prejudicado, mas sim toda a região do Norte Pioneiro.

Facebook Comments
Compartilhe: