Cidades

Hiroshi Kubo cumpre recomendação do MP e demite Robertinho

Prefeito reconhece desvio de função na administração, mas garante que resolverá problema

Roberto Coelho foi exonerado do cargo de secretário de Administração do Município (Antônio de Picolli/Arquivo)

O ex-prefeito de Carlópolis, Roberto Coelho, o Robertinho (DEM), não é mais o secretário de Administração do Município. Acatando recomendação do Ministério Público Estadual (MPPR), o prefeito Hiroshi Kubo (PSDB) exonerou o auxiliar através do decreto 072/1018-DP, por este estar impedido de ocupar cargo público até 2023 por condenação transitada em julgado no Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).



Na visão de analistas que conhecem a política local, a recomendação do MPPR foi uma saia justa para o prefeito, principalmente pela influencia que Robertinho exercia na administração e pelas ligações políticas e de amizade entre ambos. Porém, é de conhecimento público que o ex-prefeito, em grande parte, é o responsável pelo desgaste do “japonês”, como é chamado Hiroshi, que atravessa um “inferno astral” na condução do Executivo.

Nos bastidores sabe-se de outras cabeças devem rolar nos próximos dias ou semana. Vários casos de nepotismo e nepotismo cruzado vêm sendo denunciados no MPPR, que já está investigando os casos. Outros assessores já foram exonerados por conta desse problema, conforme a Tribuna do Vale já identificou em algumas publicações.

Rompimento de contrato

O prefeito Hiroshi Kubo, em nota que enviou à Tribuna do Vale no início desta semana, informou que acionou a assessoria jurídica do Município após denúncias publicadas pelo jornal sobre a demissão em massa de 19 trabalhadores que prestavam serviços para a empresa terceirizada Lamounier Serviços, que não pagou as indenizações trabalhistas dos exonerados.

Além desse problema, outra grave irregularidade foi a constatação de que a empresa não recolheu as contribuições ao INSS e FGTS, configurando uma ilegalidade que impediria a continuidade do contrato de prestação de serviços para o município. Hiroshi disse que, após a análise jurídica, pretende romper o contrato com a empresa.

A própria empresa, através de uma funcionária de nome Daiane, que se negou a dar o nome completo, cuja sede fica na cidade paulista de Pirapora do Bom Jesus, admitiu que não pagou os 19 trabalhadores e que só o faria diante da Justiça do Trabalho. A Lamounier Serviços, além dos 19 funcionários que demitiu, mantém outros 12 atuando de forma terceirizada em várias frentes de trabalho.

Desvio de Função

O problema que ameaça a sobrevivência política do prefeito Hiroshi Kubo é a manutenção de uma grave irregularidade que vem de outras gestões, o desvio de função na administração municipal. Vários funcionários, aprovados em concursos para determinadas funções foram remanejados para outras áreas, configurando uma ilegalidade.

No final da gestão que antecedeu o atual prefeito, o Município formalizou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com o Ministério Público, pelo qual se comprometia a acabar com a anomalia, mas até agora, muitos servidores municipais continuam em desvio de função.

Hiroshi Kubo reconhece o problema e diz que vai corrigir a irregularidade, mas admitiu que vai pedir ao MPPR a dilação de prazo para cumprir o TAC. Consultado a respeito, na última terça-feira (30), o Gepatria – Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa, núcleo de Santo Antônio da Platina, ainda não havia recebido qualquer solicitação neste sentido por parte do prefeito de Carlópolis.

Facebook Comments
Compartilhe: