Cotidiano

Envolvido em sequestro de gerente do Banco do Brasil morre na cadeia

Thiago dos Santos foi encontrado morto na cadeia na manhã desta quinta-feira (3)

Thiago Alberto dos Santos, 32, preso na quarta-feira (2), em Sorocaba (SP), por envolvimento no crime de extorsão mediante sequestro que vitimou o gerente do Banco do Brasil Ricardo Figueiredo, 42, na madrugada do dia 7 de fevereiro, em Santo Antônio da Platina, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (3) na cadeia paulista. De acordo com a Polícia Civil, Santos cometeu suicídio por enforcamento.



A força-tarefa responsável pelas investigações que esclareceu o caso foi liderada pelos delegados Tristão Antônio Borborema de Carvalho, titular da 38ª Delegacia Regional de Polícia, e Luiz Fernando Viana Artigas Júnior e Cristiano Quintas do grupo TIGRE (Tático Integrado de Grupos de Repressão).

De acordo com o inquérito e relatos colhidos, Figueiredo, sua esposa e as filhas do casal foram rendidos por dois marginais armados quando chegavam a sua residência. Durante toda a madrugada, a família ficou em poder dos bandidos.

Ao amanhecer, os criminosos ordenaram ao gerente que ele mantivesse a rotina de trabalho e, por meio de contato telefônico orientou como deveria ser entregue o dinheiro.

Com o retrato falado dos bandidos, análise de filmagens e atividade de inteligência policial as investigações passaram a se concentrar em Sorocaba (SP), para onde os investigadores enviaram relatório e solicitaram concurso dos policiais paulistas.

Com apoio do GARRA (Grupo Armado de Repressões a Roubos e Assaltos) de Sorocaba, DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Jaú e também da Guarda Municipal da cidade Sorocaba o veículo usado pelos bandidos no sequestro foi abordado.

O condutor, que usava documentos falsos e pilotava veículo com placas ‘clonadas’, foi identificado como um dos sequestradores no crime praticado em Santo Antônio da Platina. Thiago dos Santos foi preso e, posteriormente reconhecido por outros crimes similares ocorridos no interior de São Paulo. Contra ele (que também era acusado em vários assaltos a joalherias) havia quatro mandados de prisão em aberto.

As investigações prosseguem para identificar os comparsas de Thiago dos Santos.

Compartilhe: