Cotidiano

Encapuzados mandam trabalhador entregar bebê para mãe e o matam a tiros

Carneiro não tinha passagem pela polícia e Delegacia de Colombo investiga o caso

Vítima estava na casa da sogra trabalhando em uma reforma. Foto: Colaboração/Banda B

Um trabalhador foi executado dentro de casa na noite desta segunda-feira (22) em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Gilberto Ramires Carneiro, 40 anos, estava com o filho no colo quando atiradores encapuzados invadiram a casa. Ele foi morto na frente de todos da família com três disparos de arma de fogo na cabeça. Carneiro não tinha passagem pela polícia.



O crime aconteceu na rua Coimbra, no bairro Terezinha, por volta das 22 horas. De acordo com informações repassadas pela Guarda Municipal (GM), a vítima estava na casa da sogra quando dois homens – se passando por policiais – invadiram a casa, renderam familiares e executaram a vítima com três tiros na cabeça.

O guarda municipal Moraes disse que Carneiro estava em Colombo fazendo uma reforma na sogra, mas que seria morador de Matinhos, Litoral do Estado. “Esses dois indivíduos estavam trajando colete modular, o balístico, ambos estavam com balaclava, se identificaram como sendo policiais, renderam a vítima na presença dos familiares e efetuaram três disparos na cabeça. Foi uma execução, mesmo. Ele não morava aqui, era do Litoral”, descreveu à Banda B.

Moraes ainda detalhou que, quando os atiradores chegaram, mandaram a vítima entregar o filho, que estava no colo, para a mãe, antes de atirar. “Ele estava com o filho de colo, segurando de pé. Os autores pouparam a vida dos demais, simplesmente ele foi executado friamente”, finalizou.

Testemunhas

O pedreiro foi executado na frente do filho pequeno, da companheira grávida de sete meses e de outros dois trabalhadores que trouxe para auxiliá-lo nas obras de reforma da casa da sogra. A vítima não tinha passagens pela polícia. Os suspeitos fugiram em um veículo Renault Clio. O corpo da vítima foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. O caso será investigado pela Polícia Civil de Colombo.

Gilberto morava em Matinhos. Foto: Reprodução Facebook

Facebook Comments
Compartilhe: