Cotidiano

Diretor da UENP foi morto a machadadas após reunião com professor

Autor confesso do homicídio, o professor Laurindo Panucci Filho foi preso no início da madrugada desta sexta-feira (21) no interior paulista

Machado sujo de sangue apreendido no apartamento do professor Laurindo Panucci Filho (Divulgação/PM)

Um machado sujo de sangue apreendido no apartamento do professor Laurindo Panucci Filho, pode ter sido a arma utilizada para assassinar o diretor do campus de Cornélio Procópio da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Sérgio Roberto Ferreira, na noite de quinta-feira (20). Panucci Filho foi preso na madrugada de sexta-feira (21) em Teodoro Sampaio, no interior paulista, e confessou o crime.



A Polícia Militar chegou até o assassino após descobrir que pouco tempo antes do crime ele esteve na instituição, onde teria participado de uma reunião com o diretor do campus. Na sala onde ocorreu o homicídio, a perícia encontrou uma carta de advertência da UENP a Panucci Filho, o que pode ter motivado a discussão entre ele e Ferreira, e, consequentemente, a tragédia que chocou o Norte Pioneiro.

Professor Laurindo Panucci Filho foi preso no interior paulista (Divulgação/PM)

De acordo com a PM, Panucci Filho deixou a universidade por volta das 19h30. Ele foi até seu apartamento na cidade, onde segundo testemunhas permaneceu por pouco tempo e saiu carregando malas.

A PM recebeu informações alertando que o carro do professor havia passado pelo município de Presidente Prudente – SP e, pouco tempo depois, num trabalho conjunto com os organismos de segurança do Paraná, a polícia paulista prendeu Panucci Filho na cidade de Teodoro Sampaio. O professor confessou o crime, mas não revelou os motivos que o levaram a cometer a barbárie.

Sérgio Roberto Ferreira foi morto a machadadas (Arquivo)

Laurindo Panucci Filho será transferido para Cornélio Procópio, onde vai responder pelo crime de homicídio qualificado.

Facebook Comments
Compartilhe: