Cidades

Curso de medicina gera expectativa no Norte Pioneiro

Anúncio é celebrado por prefeituras da região; CRM critica medida e alerta para importância do investimento em infraestrutura para garantir qualidade do ensino

Realização de estudos visando a instalação de curso de medicina no campus de Cornélio Procópio da Uenp foi autorizada pela governadora Cida Borghetti (Ricardo Chicarelli)

A autorização para a realização de estudos visando a instalação de curso de medicina no campus de Cornélio Procópio da Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná) foi comemorada por prefeituras do Norte Pioneiro. Segundo o governo, o primeiro vestibular será no início do próximo ano. Foram autorizadas 40 vagas por turma.

Para o prefeito de Cornélio Procópio, Amin Hannouche, a autorização para abertura do curso de medicina foi uma “conquista com o apoio dos municípios da região”. “Jamais uma cidade como Cornélio, com aproximadamente 50 mil habitantes, teria a oportunidade de ter um curso de medicina. Só foi possível pela força da união da nossa região”, destacou.



Em Cornélio, as contratações de médicos especializados são feitas por meio do Cisnop (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte do Paraná). No entanto, boa parte dos profissionais opta por não atender pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Para o presidente do Consórcio e prefeito de Santa Cecília do Pavão, Edimar Santos, o curso de medicina na Uenp preencherá o vazio de médicos da região e é importante não só para a região de Cornélio, mas para todo o Norte Pioneiro.

“Temos gestões municipais compartilhadas, exemplo disso foi o apoio a curso de odontologia em Jacarezinho”, pontuou. “Cornélio é a sede do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) Regional, envolve todos os municípios da região e isso facilita todo sesse trabalho”, declarou. Santos afirmou que o Cisnop auxiliará o curso de medicina, fornecendo campo de estágio nas especialidades, caso seja necessário.

Durante a solenidade de autorização, realizada no dia 6 de julho, a governadora Cida Borghetti frisou que o curso de medicina no Norte Pioneiro possibilitará o aumento de médicos para atender a demanda regional. Borghetti disse ainda que, para a OMS (Organização Mundial da Saúde), o ideal é ter quatro médicos para cada mil habitantes. “Hoje aqui nesta região temos 0,9 médico por habitante”, apontou.

A ideia é que com o curso não seja necessário que os pacientes se desloquem para grandes centros urbanos para ter atendimento médico específico. “Nós queremos virar essa realidade e é para isso que estamos trabalhando”, disse Hannouche. Para o prefeito, outro passo importante foi a abertura da licitação para retomada das obras do Hospital Regional, em Cornélio Procópio. “Em um ano o hospital estará pronto, já teremos então o início das aulas de medicina do curso de Cornélio”, declarou.

Fabiana Hannouche, diretora da 18ª Regional da Saúde, com sede em Cornélio, disse que ter curso de medicina na cidade é importante porque se trata de uma região carente de médicos. “Precisamos trazer isso para cá para que a saúde melhore. Quanto mais médicos, maior a qualidade de vida”, expôs.

Presidente do CRM (Conselho Regional de Medicina) no Paraná, Wilmar Mendonça Guimarães diz que avalia a abertura do curso na Uenp com “grande preocupação”. Conforme o médico, a formação em medicina exige docentes e infraestrutura de laboratórios e hospitais.

“Os prefeitos ficam felizes porque vêm mais famílias para gastar na cidade, mas isso está nivelando por baixo a formação de medicina”, alfinetou. Guimarães alertou que antes do anúncio do curso, seria necessário que o Hospital Regional estivesse concluído. “Quem vai dar aula? Será que os alunos vão aprender medicina com biólogo, fisioterapeuta e enfermeiro?”, questionou. “Quem tem que ensinar medicina é quem sabe medicina”.

De acordo com o CRM, o Brasil é o país que mais tem cursos de medicina do mundo. “Já passamos os Estados Unidos, nem a China tem mais que a gente”, disse. Para o presidente, médicos com formação inadequada não resolvem o problema da saúde na região.

Isabela Fleischmann
Folha de Londrina
Compartilhe: