Geral

Crise na Santa Casa de Jacarezinho é muito grave

Além do risco de ficar sem exames de imagem, médicos ameaçam demissão por falta de pagamento

A situação econômico-financeira da Santa Casa de Misericórdia de Jacarezinho está muito pior que se pensava inicialmente. O quadro se agrava a cada dia e coloca em risco a gestão do único hospital da cidade e também único da região com Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), que atende a uma população de mais de 200 mil habitantes.



Um membro do Conselho do hospital, que demonstra algumas discordâncias com a atual administração, reconhece que um dos problemas que vem agravando a situação financeira da Santa Casa é o fato da instituição ser referência regional e, por conta disso, ser obrigado a atender a pacientes de todo Norte Pioneiro, sem que as prefeituras dos municípios sejam obrigadas a repassar um centavo sequer. “Não tem quem aguente bancar tudo isso sem receber nada em troca”, lamenta.

A situação financeira da Santa Casa de Jacarezinho envolve outros setores. A reportagem da Tribuna do Vale recebeu mensagens de médicos, na noite de quinta-feira (14), após veiculação da notícia sobre a crise no hospital, informando que estão sem receber desde dezembro de 2018, causando o desligamento de um médico pediatra e com risco de outras demissões.

Existe a informação de que uma empresa fornecedora de materiais cirúrgicos, não estaria realizando a entrega de novos pedidos, por falta de pagamento das encomendas anteriores.

Reunião

A empresa de diagnóstico por imagem, a Ultramed, que possui um laboratório dentro do hospital, informou, nesta sexta-feira (15), que terá uma reunião com a direção da Santa casa na segunda-feira (18), para discutir as pendências e a provável volta do atendimento.

Sem os serviços de diagnóstico por imagem fica inviável a prestação de serviços médicos pela Santa Casa, revela preocupação um dos médicos do hospital.  Estima-se que a dívida da instituição com o laboratório seja de cerca de R$ 500 mil, que estaria há quatro meses sem receber as faturas pendentes, o que pode redundar na interrupção dos serviços.

A empresa está, inclusive, considerando a hipótese de retirar todos os seus equipamentos instalados na Santa Casa. A mesma fonte informa que não tem percebido a sensibilidade da direção do hospital, que não estaria levando a sério esta possibilidade.

A informação sobre a crise que estaria atingindo a Santa Casa de Jacarezinho foi obtida pelo repórter Claubinho Souza, da Banda B local, com sede em Cambará. Segundo ele, uma paciente teria sido levada para Santo Antônio da Platina para fazer exames que poderiam ter sido realizados no próprio hospital. A justificativa foi que o aparelho existente em Jacarezinho estaria estragado. Na verdade o ocorrido seria uma reação da Ultramed pelos créditos que possui junto à instituição.

Nesta sexta-feira, mais uma vez,  a reportagem da Tribuna do Vale tentou contato com a direção do hospital. O funcionário da contabilidade que atendeu a ligação na quinta-feira (14), desta vez ignorou as chamadas. O presidente da Santa Casa, o médico Nilton Jose de Souza, não atende a ligação

Facebook Comments
Compartilhe: