Agronegócio

Chuva na região central do país pode prejudicar o milho

No Sul e no Sudeste, mesmo com volumes menores, persiste o risco de trovoadas

As chuvas volumosas, mas mal distribuídas, podem prejudicar o desenvolvimento do milho safrinha entre fevereiro e março no Centro-Oeste. Até o início de março, tem chuva em boa parte da região central do país. As instabilidades ganham força nos próximos dias.



Já no Sul e parte do Sudeste devemos ter menos chuva, com acumulados baixos, mas ainda com trovoadas. O sol deve predominar principalmente no Rio Grande do Sul.

No Sudeste, as pancadas de chuva ainda ocorrem, mas o sol consegue aparecer um pouco mais e ajuda a elevar as temperaturas em todos os estados. No interior de São Paulo, não se descarta o risco para temporais. A chuva favorece a umidade das pastagens, que se recuperaram bem. Bom também para o cafezais.

No Centro-Oeste, as instabilidades atuam principalmente em Goiás. Nas demais áreas, a previsão é para acumulados menores, mas sem descartar as trovoadas que devem ocorrer à tarde. A tendência é de instabilidades atuando até o fim da semana em todo o Centro-Oeste do Brasil, mas as pancadas de chuva não devem ser abrangentes. Ou seja, devem ser irregulares em todos os estados. Para quem está em fase da colheita da soja, é preciso ficar atento as janelas para poder fazer as atividades nas lavouras.

No Nordeste, ainda existe condição para pancadas de chuva em todo a região. Para os próximos dias, a chuva continua de forma generalizada e até ganha força mais uma vez, com acumulados bastante expressivos entre Maranhão e Ceará. Para quem plantou soja, o tempo ajuda o desenvolvimento das lavouras. Mesmo com El Niño, tem chovido de forma razoável.

Já no Norte, nos próximos dias, a temperatura segue elevada em toda a região, garantindo dias quentes e abafados, com risco de pancadas a partir da tarde.

Facebook Comments
Compartilhe: