Geral

Alvaro Dias convida Moro para ministro e promete priorizar combate à corrupção

Alvaro Dias, sobre a desistência de Osmar Dias, o irmão, na disputa pelo governo do Estado: “Eu sempre disse, apoiaria um único candidato, o meu irmão (Osmar Dias). Até por ser o meu irmão. Ele não é candidato. Eu não apoio ninguém” (Foto: Geraldo Bubniak)

O Podemos oficializou hoje, em convenção nacional em Curitiba, a candidatura do senador Alvaro Dias à Presidência da República. No discurso à convenção, Alvaro afirmou que se eleito, convidará o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo julgamento das ações da operação Lava Jato, para assumir o Ministério da Justiça. “Se eu ganhar vou convidar o juiz Sérgio Moro para ser o ministro da Justiça”, prometeu.



“Eu vou convidar o juiz Sérgio Moro e espero que ele aceite. Ele não sabe, eu não avisei, eu o convidei porque ele é o ícone da nova Justiça que queremos para o País e tem que continuar esse trabalho de limpeza. A operação Lava Jato está tirando a sujeira debaixo do tapete. Isso há de continuar. É emblemática essa escolha, esse convite público que faço pela primeira vez.Ele não sabia.  É emblemático porque isso significa um direcionamento. O nosso governo vai combater a corrupção para valer. Vai valorizar o Ministério Público, a Polícia Federal, a Justiça para que se complete essa limpeza e o Brasil volte a ter no exterior uma imagem de País sério para atrair os investimentos que hoje faltam para o crescimento econômico e geração de empregos”, argumentou.

O candidato do Podemos afirmou que vai priorizar o combate à corrupção. “Ela está entranhada em um sistema corrupto e perverso que é matriz desses governos corruptos e incompetentes. Se nós não mudarmos esse sistema nada adianta apresentar outras propostas sobre segurança, saúde, educação, ajuste fiscal e economia. Nós temos que primeiramente falar em mudar o sistema. É isso que significa a refundar da República. Esse sistema fracassou. É do balcão de negócios, do aparelhamento do Estado”, afirmou. “Isto é essencial para o Brasil. E hoje há uma conspiração a favor desse sistema. Esse ajuntamento de siglas à custa de muito dinheiro. É o último esforço, talvez o último esforço dessa gente para preservar esse sistema que é a causa principal de tantos problemas que nós vivemos, dessa tragédia política e desse caos na administração pública brasileira”, defendeu.

Não há como não mudar agora, porque nos judiaram demais, nos castigaram demais. A mentira foi a arma, promoveram um cenário de ilusão com a mistificação, a encenação e a enganação. Construíram um castelo de ficção e utopia. Nós vamos colocar no chão esse castelo. Porque agora ou vai ou racha. Ou arrebenta a tampa da caixa. E o Paraná sabe disso”, disse o candidato do Podemos.

Alvaro também citou Tiradentes. “Na Inconfidência Mineira Tiradentes pregava que se todos quisermos poderemos transformar esse País em uma grande nação. Veja como estamos atrasados. Tiradentes se foi há séculos, e hoje nós temos que aprender com ele e repetir. se todos quisermos poderemos transformar esse País em na grande nação que merecemos”, repetiu.

Governo do Paraná – Sobre a eleição para o governo do Paraná, o senador disse que não apoiará nenhum candidato, ficando neutro. O irmão de Alvaro, o ex-senador Osmar Dias (PDT), desistiu na última sexta-feira de disputar a eleição. “Não fale em apoio no Paraná, pelo amor de Deus. Nós estamos falando de Brasil. Eu sempre disse, apoiaria um único candidato, o meu irmão (Osmar Dias). Até por ser o meu irmão. Ele não é candidato. Eu não apoio ninguém.  Na verdade, eu acredito na soberania do povo do Paraná. O povo do Paraná sabe o que quer.  O povo do Paraná é que escolhe”, apontou Alvaro.

Sobre os juristas convidados para seu governo, ele afirmou vão ajudar “a promover as mudanças necessárias na Constituição e na legislação, principalmente na legislação criminal, acolhendo todas as medidas de combate à corrupção. Porque nós consideramos essencial. Será blá blá blá qualquer promessa sobre educação, segurança, economia se nós sustentarmos esse sistema anárquico e corrupto onde não somos iguais perante a lei.Ele sabe e foi avisado de que teria o meu apoio no momento adequado”.

O candidato ao Senado será o empresário Oriovisto Guimarães. Alvaro anunciou ainda que os juristas Miguel Reali Jr., René Dotti e Modesto Carvalhosa devem compor seu governo, caso eleito.

Após decisão também entre os convencionais da legenda, o PSC decidiu nesta semana apoiar a candidatura de Dias e o ex-pré-candidato Paulo Rabello de Castro será anunciado daqui a pouco como candidato à Vice-Presidência na chapa do senador.

O encontro ocorre no mesmo dia em que outros partidos vão definir a disputa presidencial, como PSDB, PT e Rede, e na véspera do fim do prazo eleitoral, que termina neste domingo (5). Até o dia 15, os partidos deverão registrar os candidatos na Justiça Eleitoral. A coligação terá além do Podemos e do PSC, o PRP e o PTC.

Perfil – Álvaro Dias tem 73 anos e está no quarto mandato de senador. De 1987 a 1991, foi governador do Paraná, à época pelo PMDB. Na década de 1970, foi deputado federal por três legislaturas. Antes de or para a Câmara federal, foi vereador de Londrina (PR) e deputado estadual no Paraná. Formado em História, o senador já migrou de siglas sete vezes.

Ele foi eleito em 2014 pelo PSDB, mudou para o PV e, em julho do ano passado, buscou o Podemos, antigo PTN, para se unir à tentativa da sigla de imprimir a bandeira da renovação da política e da participação direta do povo na política.

Bem Paraná

Facebook Comments
Compartilhe: