Sábado, 24/02/2018

Esporte 09/02/2018 - Paraná Portal


Valor de participação na Copa do Brasil quase paga a folha anual do Cianorte


Mais que apenas uma classificação, a vitória do Cianorte em cima do ABC-RN, na noite desta quarta-feira (7), no estádio Albino Turbay, foi importante para os cofres do clube. O jogo válido pela primeira fase da Copa do Brasil já garantiu R$ 500 mil ao Leão do Vale, agora o time receberá mais uma fatia de cota de participação ao disputar a segunda fase. Em entrevista ao Paraná Portal, o presidente do clube, Lucas Franzato, falou sobre os planos para o restante da temporada.

O Cianorte conseguiu a vaga no torneio deste ano após ficar em terceiro colocado no Campeonato Paranaense do ano passado. A equipe passou a integrar o Grupo III na divisão feita pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que determina o valor que os clubes irão receber pela participação na competição.

Agora o time enfrentará o Criciúma, a cota paga aos times do Grupo III na segunda fase é de R$ 600 mil. Se avançar, o Cianorte receberá R$ 1,4 milhão pela participação na terceira fase. O valor é bastante significativo se comparado à folha de pagamento do Leão. De acordo com o presidente, o orçamento anual do clube gira em torno R$ 1,5 milhão a R$ 2 milhões.

“Tem a importância histórica, por ser a terceira vez que nós conseguimos passar a primeira fase e queremos bater o recorde de chegar na terceira pelo menos. Mas a questão financeira pesa muito. É uma competição que traz uma visibilidade grande e um retorno financeiro grande, o que pra nossa realidade, com orçamento baixo que temos, faz muita diferença”, explicou.

Para Franzato a noite desta quarta-feira marcou um divisor de águas no objetivo do Cianorte. A diretoria faz o trabalho de resgate ao “futebol raiz”, popularizando o esporte na cidade e levando o nome do município para visibilidade nacional.

“Ontem foi um jogo muito emocionante, estádio cheio, mais da metade da torcida com a camisa do time, então culturalmente promovemos uma mudança no nosso estado. Porque você vai pro interior e vê mais camisas do Corinthians, Flamengo, São Paulo e Santos, diferente aqui de Cianorte agora, que tem muito mais camisas do nosso time. Isso mostra que estamos no caminho de popularizar o futebol que nós acreditamos, com ingresso barato, camiseta acessível e realmente trazer o clube para a comunidade. O futebol como deve ser, o torcedor junto com o time e o time sem frescura”, ressaltou.

Com os ganhos na Copa do Brasil, a diretoria pretende reforçar o elenco para conquistar uma vaga na Série C, além de melhorar a infraestrutura do clube. “Nosso grande objetivo é o acesso para a Série C. Nós passando de fase, além de um time forte como elenco, conseguimos uma estrutura fixa para o clube. Nós deixamos a desejar ainda em estrutura, um centro de treinamento, por exemplo. Então se gente surpreender e passar de fase na Copa do Brasil, além de fortalecer o elenco porque podemos montar um time mais forte com orçamento maior, nós pensamos em investir em infraestrutura”, destacou.

Franzato contou que a maioria do elenco tem contrato até o fim do ano e a ideia é manter a base utilizada no Campeonato Paranaense. “Chegar a final do Paranaense e conquistar quem sabe um título e tentar manter a base. Claro, que um jogador ou outro a gente acaba perdendo, até pela boa campanha que estamos fazendo, mas a ideia é manter esse elenco e trazer reforços pontuais para a Série D”, afirmou.

Cofre recheado

A Copa do Brasil ganhou ainda mais importância desde que a CBF divulgou, em dezembro, um aumento significativo nos valores das cotas de participação dos clubes. Os times são divididos em três grupos (I, II e III) nas categorias criadas para as premiações. O critério para disposição nos grupos é o Ranking Nacional de Clubes da CBF 2018.

Os valores aumentam de acordo com o avanço na competição: R$ 1,8 milhão na quarta fase, R$ 2,4 milhões nas oitavas de final, R$ 3 milhões nas quartas e R$ 6,5 milhões na semifinal. Quem ficar com o troféu levará para casa R$ 50 milhões. Um acréscimo de 733,33% em relação ao ano passado.


Como funciona o ranking
A CBF pegou as 80 equipes que disputam a primeira fase da Copa do Brasil e separou em três grupos. Dessa maneira, os primeiros 15 colocados desse ranking formam o Grupo I. O Grupo II é composto por times da Série A que não estão entre os 15 melhores (caso do Paraná) e o Grupo III abriga os demais clubes.

Os times do Grupo I recebem a maior quantia em dinheiro caso passem da primeira fase. Já os times do grupo II recebem R$ 120 mil a menos e os do grupo III recebem metade do valor dos times do grupo I.

Na segunda fase os times do Grupo II, caso avancem de fase, recebem R$ 250 mil a menos que os clubes do Grupo I. Enquanto os times do Grupo III continuam recebendo a metade dos times do Grupo I.

A partir da terceira fase, independente de grupo, os valores se igualam.



Histórico do Leão na competição
A última vez que o Cianorte disputou a Copa do Brasil foi em 2013, quando acabou eliminado na segunda fase pelo Atlético-GO. A primeira vez foi em 2005, na época o Leão era comandado pelo técnico Caio Junior (vítima do acidente com o avião da Chapecoense). Naquela ocasião, o time tinha apenas três anos de fundação e conquistou a vaga após o título do interior do Campeonato Paranaense, em 2004. O Cianorte passou pelo Cene-MS e encontrou o Corinthians na segunda fase (venceu o primeiro duelo por 3 a 0 e acabou eliminado por 5 a 1 no jogo de volta).

2018 - TANOSITE - Todos os direitos reservados
plataforma desenvolvida por Rodrigo Campos (43) 9 8814-5432