Sábado, 24/02/2018

Paraná 30/01/2018 - Bem Paraná com assessoria


Justiça nega pedido de suspensão do júri popular à defesa de Carli Filho


(foto: Arquivo Bem Paraná)
O Magistrado Naor Ribeiro de Macedo Neto, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), negou liminar de suspensão do júri popular em pedido de desaforamento formulado pela defesa do ex-deputadao estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, acusado de matar dois jovens em um acidente de trânsito em 2009. O juri está agendado para os dias 27 e 28 de fevereiro.

Na opinião do Assistente da Acusação Elias Mattar Assad, o pedido da defesa não tem qualquer fundamento técnico apto a suspender o júri ou desaforar o julgamento para outras comarcas do Paraná, tais como Guarapuava, Cascavel ou Londrina como pretendeu a defesa.


A alegação da defesa é que o caso teve “ampla repercussão em Curitiba”, quando a repercussão foi nacional. Alegaram que Christiane Yared foi eleita deputada federal com expressiva votação em Curitiba e que há probabilidade de seus eleitores serem escolhidos para jurados, sem levar em conta que as cidades preferidas pela defesa são redutos eleitorais da família do acusado.


O caso

Em 7 de maio de 2009, o carro blindado que Carli Filho dirigia em um trecho da Avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, atingindo o veículo em que estavam os jovens Gilmar Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20, que entrava na mesma avenida fazendo uma conversão à esquerda.

As investigações apontaram que Carli Filho dirigia em alta velocidade – 163 km/h. Ele estava com a carteira de habilitação cassada. O ex-deputado estadual tinha 130 pontos na carteira e 30 multas, sendo 23 delas por excesso de velocidade.

O inquérito policial apontou também que Carli Filho havia ingerido quantidade de álcool quatro vezes acima da tolerada à época.

2018 - TANOSITE - Todos os direitos reservados
plataforma desenvolvida por Rodrigo Campos (43) 9 8814-5432