Sábado, 23/09/2017

Educação 09/04/2017 - Agência Brasil


Governo lança Nacional base Curricular Comum do Ensino Básico


O exercício da empatia, o diálogo, a cooperação e respeito deve ser parte da vida cotidiana nas escolas. Além disso, os alunos devem aceitar e apreciar a diversidade. Estas são algumas das tarefas previstas no Nacional Base Curricular Comum (NCCB) que irá orientar todas as escolas públicas e privadas. O documento final da NCCB para educação infantil e ensino fundamental foi apresentado na quinta-feira (6) pelo Ministério da Educação.

Além de definir o que deve ser aprendido a cada ano em todas as áreas do conhecimento, NCCB estabelece dez competências gerais que devem ser desenvolvidos em todas as disciplinas ao longo da vida escolar do aluno. Entre eles, as escolas devem fazer os alunos conscientes de si, irá apreciar e cuidar de sua saúde física e mental, reconhecendo as suas emoções e as dos outros. O objectivo é conseguir a formação chamado humano.

"Não há nenhuma separação entre as competências cognitivas, sócio-emocionais e de comunicação. Eles são gerais e indivisível. A criança deve aprender a ser atencioso, respeitar os outros, assumir a responsabilidade, a viver juntos. Tem que aprender a ler e resolver problemas, ser um cidadão do mundo, respeitando a diversidade e comunicar ", disse o secretário-executivo do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, que presidiu a comissão competente para a conclusão do NCCB. "Se você não tem uma boa auto-estima, não é estimulado, não é bem recebido na escola, têm dificuldade em desenvolver o conhecimento", acrescenta.

O NCCB também determinou que os alunos tenham uma educação que lhes permite proeminência. Entre os poderes é a curiosidade intelectual exercício e resort a própria abordagem para a ciência, incluindo a investigação, reflexão, análise crítica, imaginação e criatividade para investigar as causas, desenvolver e testar hipóteses, formular e resolver problemas, e inventar soluções baseadas no conhecimento em diferentes áreas.

Formação de professores

De acordo com especialistas, a formação e avaliação de professores -o responsável por essas mudanças alcançar a estudantes- para ser eficaz a NCCB será necessário, entre outras coisas.

"Não há dúvida de que será necessário rever a formação inicial, a formação contínua, condições e materiais educativos para que o professor pode realizar trabalho", diz Anna Helena Altenfelder, superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, cultura e Ação comunitária. Anna também é membro do Movimento para a Base Nacional Comum grupo, não-governamental de profissionais da educação.

Mozart Neves Ramos, diretor de articulação e inovação Instituto Ayrton Senna, as escolas também terão que se adaptar. "Para que atinge a sala de aula, da escola, uma nova arquitetura da sala vai ser necessário para um novo diálogo escola com o novo mundo e as profundas mudanças." Ele dá como exemplo a necessidade de alterar o design carteiras estudantis. "Um quarto com carteiras linhas podem criar um ambiente que não se desenvolve aspectos da cooperação e da criação."

Próximos passos

A expectativa do Ministério da Educação é que o Nacional base curricular comum realmente atinge a educação em sala de aula da primeira infância e ensino fundamental a partir de 2019. A secção sobre ensino secundário está sendo preparada e deverá ser apresentado nos próximos meses.


2017 - TANOSITE - Todos os direitos reservados
plataforma desenvolvida por Rodrigo Campos (43) 9 8814-5432