Segunda, 23/04/2018

Esporte 05/04/2018 - Bem Paraná


Com 24 mil na Arena, Atlético vence o 'freguês' São Paulo


Pablo comemora o primeiro gol do Atlético na partida (Foto: Geraldo Bubniak)
O Atlético Paranaense venceu por 2 a 1 o São Paulo, nessa quarta-feira (dia 4) à noite, na Arena da Baixada, na partida de ida pela quarta fase da Copa do Brasil. O jogo de volta será em 19 de abril, no Morumbi. O gol como visitante não é critério de desempate na edição 2018. Quem avançar estará nas oitavas de final.

Esse foi o quinto jogo do time principal do Atlético em 2018. Nas partidas anteriores, a equipe de Fernando Diniz somou uma vitória e três empates.

FREGUESIA
O São Paulo é o maior freguês da história da Arena da Baixada. Desde o que o estádio foi construído, em 1999, o clube paulista nunca venceu o Atlético no local. Foram 22 confrontos, com 15 vitórias do Furacão e sete empates. A última vitória do São Paulo como visitante contra o Atlético foi em 1982, no Couto Pereira.

TORCIDA
Assim como o jogo da semana passada contra o Londrina, a partida com o São Paulo contou com a presença de instrumentos musicais e bandeiras, materiais que estavam proibidos desde agosto do ano passado. Com a decisão, as organizadas voltaram a frequentar a Arena.

O jogo teve promoção de ingressos (redução de R$ 100 para R$ 60) e registrou o melhor público do Atlético no ano, com 24.545.

PREMIAÇÃO
O Atlético já acumulou R$ 5,4 milhões em cotas na Copa do Brasil 2018: R$ 1 milhão pela 1ª fase, R$ 1,2 mi pela 2ª, R$ 1,4 mi pela 3ª e R$ 1,8 mi pela 4ª. Se chegar às oitavas, receberá mais R$ 2,4 milhões.

ESCALAÇÃO
Sem desfalques, o Atlético tinha força máxima. O técnico Fernando Diniz manteve o esquema tático 3-4-3 de sempre. As novidades foram Lucho González no meio-campo e Pablo no ataque. Com isso, Rossetto e Bergson foram para o banco. Clique aqui para ver uma análise do desempenho individual dos jogadores na partida. O São Paulo veio no 4-3-3.

PRIMEIRO TEMPO
O Atlético manteve o estilo Diniz, com prioridade na posse de bola, movimentação ofensiva intensa e trocas de posições no ataque. Com essa proposta, envolveu o São Paulo e conseguiu controlar o meio-campo. No entanto, faltou qualidade individual para criar mais chances. Os jogadores do setor ofensivo erraram demais no terço final do campo e levaram pouco perigo ao rival. Já o São Paulo adotou um bloco médico na maior parte do tempo — não ficou muito recuado e só avançou bastante em momentos específicos. O time paulista tentou explorar a velocidade de Tréllez e de Marcos Guilherme. E conseguiu incomodar em alguns lances. O gol atleticano veio aos 22 minutos, quando Paulo André ganhou uma dividida na defesa e lançou Pablo. O atacante tentou cruzar, Arboleda cortou e Pablo aproveitou o rebote para chutar no canto: 1 a 0.

SEGUNDO TEMPO
No intervalo, Jonathan deixou o jogo e entrou o volante Camacho. Com isso, Raphael Veiga foi improvisado na ala-direita. O São Paulo avançou e passou a ter mais posse de bola, porém, ficou mais vulnerável atrás. O Atlético teve três boas chances seguidas: Veiga chutou perto aos 7 minutos, Nikão perdeu gol feito aos 9 e Guilherme desperdiçou boa oportunidade aos 12. O segundo gol só veio aos 16 minutos, após escanteio de Carlerto e finalização de Paulo André. O São Paulo reduziu para 2 a 1 aos 18, com cruzamento de Reinaldo e finalização de Tréllez. Aos 25, saiu Lucho González e entrou o zagueiro Wanderson. O esquema seguiu o mesmo, com Pavez mudando para a posição de volante. Aos 29, Paulo André saiu lesionado. Entrou Zé Ivaldo.

ESTATÍSTICAS
Ao final dos 90 minutos, o Atlético somou 46% de posse de bola, 8 finalizações (3 certas), 93% de precisão nos passes e 4 escanteios. O São Paulo teve 54% de posse de bola, 14 arremates (2 certos), 91% nos passes e 3 escanteios. Os dados dão do Footstats.

ATLÉTICO 2 x 1 SÃO PAULO
Atlético: Santos; Pavez, Paulo André (Zé Ivaldo) e Thiago Heleno; Jonathan (Camacho), Lucho González (Wanderson), Raphael Veiga e Carleto; Guilherme, Nikão e Pablo. Técnico: Fernando Diniz
São Paulo: Sidão; Éder Militão, Rodrigo Caio, Arboleda e Reinaldo; Petros (Cueva), Jucilei e Liziero (Hudson); Nenê Marcos Guilherme (Régis) e Tréllez. Técnico: Diego Aguirre
Gols: Pablo (22-1º), Paulo André (16-2º) e Tréllez (18-2º)
Cartões amarelos: Reinaldo e Militão (SP).
Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE)
Público: 24.545 total
Renda: R$ 654.115,00
Local: Arena da Baixada

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo
7 – Petros dá belo lançamento. Santos sai da área e corta antes que Tréllez fique na cara do gol.
8 – Nikão divide com Rodrigo Caio na área, cai e pede pênalti.
10 – Nenê chuta de fora da área. A bola vai ao lado.
17 – Grande jogada de Lucho. Ele tabela, recebe na área e cruza rasteiro. Sidão corta.
21 – Paulo André chuta de fora da área. A bola passa perto.
22 – Gol do Atlético. Pablo recebe de Paulo André, avança e cruza. Arbolead corta. Pablo pega o rebote e chuta cruzado.
43 – Falta no meio-campo. Carleto lança para área. Raphael Veiga não alcança na pequena área e a bola sai pela linha de fundo.

Segundo tempo
5 – Militão arrisca de longe. A bola vai ao lado.
7 – Raphael Veiga chuta de fora da área. A bola toca na rede, pelo lado de fora.
9 – Lucho para Guilherme para Pablo, que coloca Nikão na cara do gol. Ele chuta para fora.
12 – Carleto toca para Guilherme, livre na área. Ele chuta para fora e perde boa chance.
16 - Gol do Atlético. Carleto bate escanteio. A zaga tira mal. Paulo André aproveita e cutuca.
18 – Gol do São Paulo. Reinaldo avança pela ponta-esquerda e cruza rasteiro. Tréllez chega antes que Paulo André e chuta.
23 – Nenê chuta de fora da área. Santos defende.
25 – Falta frontal. Nenê bate perto, sobre o gol.
32 – Nikão solta a bomba de fora da área. Sidão espalma.
33 – Carleto cobra escanteio. Thiago Heleno cabeceia sobre o gol.
39 – Reinaldo chuta de fora da área. A bola passa perto, ao lado.

2018 - TANOSITE - Todos os direitos reservados
plataforma desenvolvida por Rodrigo Campos (43) 9 8814-5432